Brasil de Fato: Documentário “Raízes” faz busca pela ancestralidade negra brasileira

Cena em que aparece Kelton, personagem que busca seus ancestrais / Reprodução

Cena em que aparece Kelton, personagem que busca seus ancestrais / Reprodução

 

“O “Raízes” nasce de um questionamento de alguns jovens negros sobre o porquê de a gente não conhecer a nossa história. Do porquê, ao conversar com amigos brancos, eles sabem exatamente de onde veio sua família e seu sobrenome, e a gente nunca sabe sobre os negros de nossa família. A gente tem uma sociedade que nega parte da história de nosso país, invisibiliza e esconde a história dos negros e dos povos originários”, diz Simone Nascimento, jornalista e uma das idealizadoras do projeto.

Para Nascimento, o filme surge em um momento de grande reflexão sobre identidade negra e resgate da ancestralidade. “O personagem do filme é Kelton, um jovem real, que escolhemos após uma campanha que procurou jovens negros em busca de suas raízes afro-brasileiras. A partir disso, a gente conheceu vários jovens negros da cidade de São Paulo. E, apesar de o Kelton estar fazendo uma busca sobre ele, existe também algo que é coletivo, é uma busca coletiva pela história do povo negro”, aponta.

Além de Simone Nascimento, o filme foi idealizado por Carlos de Nicola, Nayara Mendl e Wellington Amorim. O longa-metragem tem incentivo de uma iniciativa do Instituto Criar, a Estácio e o Prêmio Criando Asas, que fomentam e viabilizam projetos que usam o audiovisual como ferramenta de transformação social.

 

Leia a matéria original na íntegra, clicando aqui.